Deportes

Clipping Digital | Ponte Preta busca reencontro com a vitória

Venezuela, República Dominicana, FVI
Joven recibió 3 disparos en la cabeza en el sur de Guayaquil

Denny Cesare/EC

Gilson Kleina cumprimenta o presidente de honra da Ponte, Sergio Carnielli, durante treino: mudan�a na diretoria traz dirigente de volta ao clube

Após segurar empate por 0 a 0 com o Guarani no Dérbi 195, sábado, no Brinco de Ouro, a Ponte Preta recebe hoje o Figueirense no Moisés Lucarelli, às 20h30, pela 35ª rodada da Série B. O objetivo é quebrar o jejum de sete jogos (seis empates e uma derrota) sem vitórias na competição. Além de buscar o encerramento da incômoda seca, a Macaca também tenta quebrar a sequência de oito partidas sem derrotas que o adversário catarinense acumula no torneio. Amargando a 17ª colocação, com 35 pontos, o Figueirense enxerga a chance de deixar a zona de rebaixamento após 14 rodadas, mas para isso vai precisar conquistar os três pontos e ainda torcer para um tropeço do Londrina contra o Criciúma, que se enfrentam no estádio Heriberto Hülse, no mesmo horário. A Ponte Preta, por sua vez, ocupa a 11ª posição, com 44 pontos. Mesmo com remotas chances de acesso ou risco de rebaixamento, os jogadores da Ponte querem deixar o Dérbi para trás e entrar com atitude contra o Figueirense para poder terminar o campeonato com dignidade. “Não é porque o Figueirense está na zona de rebaixamento que a gente tem que entrar frouxo. Será muito difícil e temos que entrar forte, sabendo que a camisa da Ponte é muito forte e que as equipes vem jogar aqui dentro fechadinhas, procurando sempre uma bola parada para sair na frente e depois colocar os onze jogadores atrás da linha da bola”, afirmou o volante Washington Santana ontem. Contra o Figueirense, o técnico Gilson Kleina tem três problemas para escalar a equipe. O primeiro deles é na meta, já que o goleiro titular Ivan — herói da Ponte Preta no Dérbi — está integrado à seleção pré-olímpica que disputa o Torneio de Tenerife, na Espanha. Com a ausência de Ivan, o reserva imediato Ygor Vinhas assume naturalmente o gol da equipe. Outro desfalque é o volante Lucas Mineiro, que recebeu o terceiro cartão amarelo no Dérbi e cumpre suspensão automática. Com isso, o meia chileno Araos deve ganhar uma chance na equipe titular, que deve ser mais ofensiva do que no Dérbi. Com lesão muscular na coxa direita, o zagueiro Airton completa a lista de ausências e deve ser substituído por Henrique Trevisan. Os ingressos para o confronto com o Figueirense podem ser adquiridos na bilheteria do Moisés Lucarelli por R$ 10 e R$ 5 (meia). FICHA TÉCNICA PONTE PRETA Ygor Vinhas; Edilson, Renan Fonseca, Henrique Trevisan e Guilherme Guedes; Washington, Camilo, Araos e Renato Cajá; Marquinhos (Vico) e Roger. Técnico: Gilson Kleina. FIGUEIRENSE Pegorari; Luis Ricardo, Alemão, Ruan Renato e Conrado; Patrick, Betinho e Fellipe Mateus; Robertinho (Jefferson Renan), Breno e Rafael Marques. Técnico:  Pintado. Local:  Moisés Lucarelli. Horário:  20h30. Juiz:  Gilberto Rodrigues Castro Júnior (PE) Washington lamenta queda de rendimento O motivo pelo qual a Ponte Preta realiza um segundo turno de Série B pior do que o primeiro é tema de reflexão no Moisés Lucarelli. Faltando apenas quatro rodadas, são apenas 17 pontos conquistados desde o início do returno. Como efeito de comparação, nesta mesma altura do primeiro turno, a Macaca já somava 23 pontos depois da disputa de 15 jogos. “Oscilamos muito na Série B, especialmente quando não podíamos, e nessa competição não se pode vacilar, a não ser que você tenha uma boa gordura. Como não tínhamos, ficamos distante do G4 e isso criou uma desconfiança nos jogadores para fazermos as coisas darem certo”, afirmou o volante Washington. “Infelizmente a parada da Copa América não nos beneficiou, diferentemente do que aconteceu com outras equipes, que souberam aproveitar o período de meio de ano sem jogos. Mas não podemos usar isso como desculpa”, destacou Washington. Apesar do mau momento vivido pela Ponte Preta, o volante se mostrou empolgado com o futuro do clube sob a gestão do novo presidente, Sebastião Arcanjo, o Tiãozinho. “Naquela primeira reunião que tivemos com ele, já deu para ver que daqui para frente veremos uma Ponte Preta diferente. A gente ficou até surpreso com algumas questões. Em poucos minutos, já deu para colocar muitas coisas em ordem. A gente viu que ele não é de falar muito, mas tem muita atitude. Acho que isso faz uma grande diferença. Por isso, temos que mostrar serviço todos os dias, até pensando na montagem do elenco do ano que vem. A Ponte Preta daqui para frente vai crescer e tenho certeza que vamos dar a volta por cima”, finalizou Washington.